O V Encontro Ibérico promovido pelo GRACE em parceria com a congénere espanhola Forética e com o apoio do Associado IBM Portugal, abordou, no passado dia 8 de Junho, o tema “Ética e Inteligência Artificial: as novas competências – desafios empresariais” em casa do Associado Cisco.

 

 

As boas vindas do encontro ficaram a cargo de Sofia Tenreiro, Diretora Geral da Cisco, que introduziu o tema e relembrou aos presentes o papel cada vez mais relevante da Inteligência Artificial nas empresas e na sociedade em geral.

 

 

A sessão de abertura contou com as intervenções de Luís Roberto, Vice-Presidente do GRACE em representação da Fundação BP e Germán Granda, Diretor-Geral da Forética. Ambos reforçaram o compromisso das duas Entidades na sensibilização do tecido empresarial para os temas da responsabilidade social e, em particular, dos desafios éticos na Transformação Digital.

 

 

Seguidamente, Fátima Carioca, Dean da AESE, abordou a temática “O limite da Ética na Inteligência Artificial”, realçando que há certas respostas que a IA não consegue dar, já que conceitos humanos, como a honestidade por exemplo, dificilmente serão apreendidos pelas máquinas. Deu ênfase também para o facto de a ética ser um trabalho contínuo e que deve ser trabalhado em casa, nas escolas e também nas organizações.

 

 

Jorge Mendes de Sousa, Presidente do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL), fez um breve enquadramento dos desafios da IA no ensino de Engenharia, dando vários exemplos práticos de sucesso como por exemplo os veículos autónomos que já circulam em Cascais e Viseu. Chamou igualmente a atenção para a dualidade da IA: se por um lado pode constituir uma complementaridade e desenvolvimento das capacidades humanas, por outro pode implicar perda de controlo e substituição do ser humano. Terminou com as várias parcerias estabelecidas pelo ISEL com inúmeras empresas em áreas como a Energia, Modelação Industrial, Urbanismo, Transportes e Telecomunicações, entre outras.

 

 

Seguiu-se Alexandre Pinto, Technology Architecture Science Associate Director na Accenture, que constatou que é facto inegável que, atualmente, somos todos cidadãos digitais. Os desenvolvimentos na área a IA já não se tratam de treinar “máquinas” para cumprir determinada tarefa mas “educá-las” a responder de forma responsável, tornando-as representantes das organizações e elementos ativos da sociedade. O grande desafio será transpor para a IA a capacidade humana de tomar decisões autónomas sem a necessidade de intervenção humana.

 

      

Coube a Margarida Couto, Presidente do GRACE em representação da Vieira de Almeida & Associados, moderar a mesa redonda constituída por Frederico Muñoz (Chief Architect na IBM, José Henriques (country Manager na INDRA Portugal), Mafalda Barreto (Managing Partner da GA_P) Salomé Barreira (Head of Recruiting, Training & Development do El Corte Inglés), Vânia Neto (Education & Philanthropies Lead da Microsoft) e Vasco Teixeira (Manager da área de Information Technology da Michael Page). No animado debate foi lançado o alerta da possibilidade de enviesamento das decisões tomadas pela IA, relembrando-se a importância dos dados e da sua análise, e do papel do humano enquanto formador das máquinas e da sua respetiva função primária: a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

 

 

A ilustradora Teresa Dias Costa fez um brilhante live sketch de toda a iniciativa.

 

 

O nosso agradecimento especial ao Associado IBM Portugal pelo apoio na concretização da iniciativa. 

Veja o álbum de fotos da iniciativa aqui.

(©Gonçalo Português)