Carina Crucho do Instituto Superior Técnico; Dulce Oliveira do Instituto Português do Mar e da Atmosfera; Inês Bento do Instituto de Medicina Molecular; e Margarida Fernandes do Centro de Física/Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho foram as quatro grandes premiadas da edição de 2018 das Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência, que se realizou no Pavilhão do Conhecimento a 21 de Março.

 

 

A iniciativa do Associado destaca este ano três projetos de investigação na área da saúde - um sistema de distribuição e de libertação controlada de antibióticos, um estudo sobre o parasita da malária através do seu ciclo circadiano que visa identificar um alvo terapêutico universal a todas as etapas da vida do parasita, e um projeto de criação de nanocompósitos magnetoeléctricos como plataformas para a regeneração de tecido ósseo. O quarto projeto vencedor está ligado ao setor do ambiente, nomeadamente ao estudo das alterações climáticas do passado para compreensão dos mecanismos que estão naturalmente associados a eventos climáticos extremos (seca, chuvas intensas, incêndios), e consequente análise do seu impacto nos vulneráveis ecossistemas da Península Ibérica e costa leste dos EUA.

 

 

“As Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência são atualmente consideradas uma das mais prestigiantes distinções no nosso país. Estes prémios não visam apenas reconhecer o trabalho fantástico realizado por jovens cientistas, pretendem também inspirar outras mulheres a seguirem uma carreira na área científica, desafiar mentalidades, transformar sistemas e promover um mundo inclusivo sustentado por uma política de igualdade de oportunidades baseada no mérito. É com muito orgulho que a L’Oréal Portugal apoia este projeto e reconhece, pelo 14º ano consecutivo, mais quatro importantes trabalhos na área da saúde e do ambiente”, refere Cátia Martins, Country Manager da L’Oréal.

 

 

Além da “Medalha de Honra”, as quatro vencedoras vão receber um prémio financeiro no valor de 15 mil euros cada, que visa não só apoiar os seus projetos de investigação, como também motivá-las a prosseguirem estudos relevantes nas suas áreas de investigação. Estas jovens cientistas portuguesas foram selecionadas de entre mais de 70 candidaturas por um júri científico presidido por Alexandre Quintanilha.

 

Mais de 45 investigadoras portuguesas apoiadas

Em Portugal, este programa já galardoou mais de 45 investigadoras desde a sua primeira edição em 2004, e continua a promover o trabalho de excelência que tem contribuído para o progresso da Ciência e Tecnologia no nosso país. A iniciativa nasceu de uma parceria entre a L’Oréal Portugal, a Comissão Nacional da UNESCO e a FCT-Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

 

A nível internacional, há 20 anos que o L’Oréal-UNESCO For Women in Science reconhece projetos de investigação originais e promissores e destaca a importância das mulheres na ciência. Globalmente, os programas científicosdesenvolvidos pela L'Oréal e pela UNESCO já apoiaram mais de 3100 investigadoras em mais de 115 países.