Segundo o Social Progress Imperative (SPI), uma organização não-governamental, Portugal volta a estar entre os 20 países com o maior Índice de Progresso Social em 2017, com 85,44 pontos em 100 e na 20ª posição.

O país destaca-se nos indicadores Água e Saneamento (8ª posição global), Tolerância e Inclusão (13ª posição) e Segurança Pessoal (14ª). O SPI classifica 128 países de acordo com o seu desempenho social e ambiental, abrangendo cerca de 98% da população mundial.

 

Embora a qualidade de vida tenha melhorado globalmente, os dados revelam que as duas ameaças mais preocupantes são o declínio dos direitos pessoais, da segurança pessoal e da tolerância e inclusão e o desequilíbrio e fraca progressão do índice a nível mundial.

Segundo Michael Green, CEO do SPI, “milhões de pessoas em todo o mundo enfrentam uma acentuada diminuição da sua liberdade pessoal e deparam-se com mais violência, injustiça, discriminação e exclusão. Apesar de terem acesso a um conjunto vasto de recursos e influência, os EUA, a par de outras nações desenvolvidas, quase não progrediram desde 2014. Isso significa que estamos a assistir a mudanças incrementais e a nichos de progressão social, em vez de uma transformação generalizada. Inclusivamente, alguns países estão a retroceder em áreas que são fulcrais para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável, tais como Qualidade Ambiental, Saúde e Bem-Estar, Liberdade Pessoal e de Escolha e Abrigo”.

 

A Dinamarca lidera o ranking do Índice de Progresso Social 2017, seguindo-se a Finlândia (2º), Islândia e Noruega (3º) e Suíça (5º).