A Habitat for Humanity Portugal (HFHP) festejou no dia 8 de Abril de 2017 um evento de enorme significado para esta ONG. Tratou-se da inauguração da Domus, a casa que acolhe a partir desse dia a sede da HFHP, mas que terá sempre as suas portas abertas, também, a todas as organizações solidárias que não dispõem de um local onde possam desenvolver a sua acção de puro serviço.

A HFHP sabe bem o que significou trabalhar durante 21 anos, sem espaço minimamente adequado, pelo que decidiu acolher e ceder esse local a outros parceiros no bem-fazer, dado que existe para servir uma causa que é de todos, também. Desta forma, esta ONG luta pelo direito dos cidadãos a uma casa a sua tem agora um espaço próprio onde poderá desenvolver a sua actividade com condições de crescimento do âmbito da sua acção, apoiando muitas mais famílias portuguesas, na construção do seu lar e, ao mesmo tempo, uma vez que poderá hospedar, como fonte de rendimento, os seus voluntários estrangeiros. Em seis meses apenas foi desenhada e concretizada a edificação deste negócio social que permitirá gerar fundos a reverter integralmente para o crescimento desta que é o ramo português de uma enorme ONG com presença em todo o mundo.

 

Apraz-nos constatar que em 2017, o ano que foi decretado pela ONU como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, a HFHP esteja a viver a feliz coincidência da criação desta empresa de alojamento dos seus voluntários estrangeiros e outros visitantes de Braga, com um total de nove quartos, contribuindo dessa forma, tal como preconizado pela ONU, para alavancar a contribuição do turismo em 3 pilares da sustentabilidade: económica, social e ambiental. Este projecto, que foi intitulado de DOMUS, pelo significado e raízes desta palavra, cumpre esses princípios pela forma como se constituiu e vai funcionar:

- um espaço para diferentes culturas e serviços à sociedade que fortalecerá o entendimento e a paz;

- desenvolver o turismo de forma sustentável implica acções que sejam socialmente justas e aqui a HFHP está certa de estar a cumprir, porque esta associação não aceita a injustiça social e bate-se pela satisfação das necessidades básicas do ser humano, neste caso concreto, através da erradicação da pobreza habitacional;

- fazer opções ecologicamente corretas e aqui a  HFHP selecionou para a decoração e equipamento desse espaço soluções que não implicaram o dispêndio de qualquer quantia, pois todo o mobiliário e todos os elementos decorativos foram doados e, na maior parte dos casos, numa lógica de reutilização. Esta organização pretende continuar a dar cumprimento a este princípio;

- encontrar caminhos economicamente viáveis – e, neste ponto, não só foi feita uma cuidadosa planificação do negócio e do valor investido, como também foi apresentado um plano que levou à transferência de um fundo de apoio detido pela HFH Internacional, constituído por donativos de equipas internacionais que já construíram em Portugal, nos últimos anos, e que veio a ser confiado a esta filial para concretizar este projecto. Este investimento estrangeiro representou mais de metade do total investido no negócio e reforça, assim, a vontade de colaboração desta filial nacional com tão nobre causa.

 

Ainda mais felizes e desejosos de fazer mais, na Domus será desenvolvido o trabalho humanitário da HFHP, pela concretização da missão desta ONG: colocar o amor de Deus em ação juntando pessoas, para construir casas, comunidades e esperança e tudo isto porque a visão desta organização é a de um mundo onde todos tenham um lugar decente onde morar. 

 

Helena Pina Vaz

Presidente da Habitat for Humanity